Notícias

Dia do Bombeiro – Discurso do Deputado Wasny de Roure

Por ocasião do Dia do Bombeiro brasileiro, o deputado Wasny de Roure (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: Rio-Brasília a pé. Muitos de vocês, especialmente o Segundo Tenente Nelson Soares, aqui presente, sabe do que estou falando. A marcha de 25 homens, que durou 25 dias, saindo do Rio de Janeiro em direção a nova capital da República, foi o meio que estes bombeiros – que à época passavam dos 30 anos de idade, muitos tinham 15 anos de serviço – encontraram para integrar o novo Corpo de Bombeiros que se formava na capital da República.

Desafiados por seu Superior, que dizia que Brasília precisava de“gente nova” e não de “ferro velho”, nas palavras dele, esses bravos soldados do fogo decidiram mostrar sua força, seu valor. Irromperam o Planalto Central com a Marcha Moraes Anta, nome escolhido em homenagem ao primeiro Comandante do Corpo de Bombeiros do Brasil,inaugurado, vou dizer assim, em 02 de julho de 1856, quando também se comemora o Dia do Bombeiro. Aliás, quero lembrar que a Marcha

Desafiados por seu Superior, que dizia que Brasília precisava de“gente nova” e não de “ferro velho”, nas palavras dele, esses bravos soldados do fogo decidiram mostrar sua força, seu valor. Irromperam o Planalto Central com a Marcha Moraes Anta, nome escolhido em homenagem ao primeiro Comandante do Corpo de Bombeiros do Brasil, inaugurado, vou dizer assim, em 02 de julho de 1856, quando também se comemora o Dia do Bombeiro. Aliás, quero lembrar que a Marcha Moraes Anta, completou 40 anos ontem, 27 de julho. Passa rápido, não é Tenente Nelson?

Eles vieram se juntar àqueles que foram os primeiros, os pioneiros

Certamente, nunca mais ninguém ousou duvidar da coragem, do destemor desses homens em salvar vidas alheias. São nove os que ainda estão entre nós. O Tenente Nelson, não poderia faltar a esta homenagem,pois este soldado é história viva daqueles que superaram seu próprio limite para servir a população de Brasília.

Um outro Anjo do Fogo, como todos vocês, honrou especialmente o nome da Instituição Corpo de Bombeiros num salvamento digno de cena de filme de Hollywood. O cabo Areovan de Castro Santos, da Primeira Companhia de Guarda e Segurança da Asa Norte, retornava para casa com seus dois filhos e mulher quando percebeu que na linha do trem, que passa pelo Guará e segue até a Rodoferroviária, estava uma mulher em estado de choque, sem conseguir sair do carro. O trem se aproximava e Areovan não teve dúvidas. “Nessa hora a gente tem de esquecer a esposa e os filhos e cumprir o dever.”, disse nosso herói de farda. Foi tudo muito rápido, mas os dois já estavam fora do carro quando o trem o jogou fora da linha. Era 26 de dezembro de 2002. Um belo presente de fim de ano para Daniela Cavalcanti, que à época tinha 20 anos.

Naquele mesmo ano, no mês de maio, o cabo Claudeci Ferreira da Silva, seguiu para o trabalho, como de costume, com a consciência de que arriscar a própria vida para salvar outras é parte primordial de sua missão como membro do Corpo de Bombeiros. “Vidas alheias e riquezas a salvar”, diz o lema dos Anjos do Fogo.

Na operação para conter o incêndio no prédio do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, das 240 máscaras necessárias para auxiliar os bombeiros e socorrer as vítimas, havia apenas 20. Num ato de bravura, Claudeci dividiu o seu oxigênio com outro colega até a exaustão. A vida dele estava mesmo em suas mãos. Claudeci, agora promovido a Terceiro Sargento, por sua coragem e destemor, ficou internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital das Forças Armadas, pois sofrera asfixia e queimaduras nas vias aéreas por estars em máscaras para combater o incêndio no subsolo do prédio do TJDFT.

Nenhuns destes homens contraria o lema de sua instituição. Ao contrário, cumprem-no de peito aberto, honram-no, assim como todos os combatentes anônimos que salvam vidas e evitam tragédias. Citei o nome de alguns, mas o faço em homenagem a todos os incansáveis militares feridos em operações de salvamento e controle de incêndio, ou que se desdobram para salvar vítimas de acidentes de trânsito, ou se arriscam em lugares de difícil acesso como matos e florestas para realizar salvamentos difíceis. Não posso esquecer daqueles, que por seu treinamento especial, são acionados para conter dependentes químicos ou doentes mentais. Todos são homens muito preparados, capazes de grandes atos heroicos como os que relatei aqui. O limite do bombeiro,Senhores, é a morte. 

E tenho certeza que mais do que o salário no final do mês, ou as medalhas de condecorações, ou as homenagens a estes bravos homens,eles levam consigo a certeza de dever cumprido, da missão realizada em seu último grau: sacrificar-se pelo outro, sem pensar duas vezes, sem titubear. Esta gratificação é maior que todas as outras, é imensa.

Este desapego consciente à própria vida, sem contudo ser irresponsável, é tema recorrente em histórias reais, até mesmo em quadrinhos, jogos de computadores, onde o bombeiro atua como bravo herói. Está lá na Canção do Soldado do Fogo, cujos versos, cito agora.A letra é dos Tenentes Sérgio Luiz de Matos e A. Pinto Júnior:

“Missão dupla o dever nos apontaVida alheia e riquezas a salvarE, na guerra, punindo uma afronta,Com valor pela Pátria lutar”.

Do outro lado do Continente, um capitão do Corpo de Bombeiros dos Estados Unidos, Jim Coyne, também homenageou seus colegas com uma música. Falo daqueles que morreram bravamente para salvar as vítimas do atentado ao World Trade Center, no dia 11 de Setembro de 2001, na cidade de Nova Iorque. Chama-se “Apenas um Sacrifício”.

“Quando guerreiros do fogo doam suas vidas,Até mesmo os anjos derramam lágrimas,Mas para mártires, santos e patriotas Isto é apenas um sacrifício”

Esta Sessão Solene é o meio que nós parlamentares temos de homenageá-los. Além, evidentemente, de atuar para que as reivindicações da categoria, junto ao Parlamento, sejam tratadas com respeito. Como cidadão, sou grato pelo trabalho de vocês. Espero que o meu empenho em atendê-los nesta Casa de Leis esteja a contento. É o mínimo que se pode fazer por quem está disposto a doar sua existência para que o próximo continue a existir. Parabéns pelo Dia do Bombeiro!Parabéns pelas vidas que devolveram ao mundo! Obrigado pela Coragem!

Deputado Wasny de Roure (PT-DF)

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
Skip to toolbar